A Beta-i, de Lisboa, e a Tetuan Valley, de Madrid, anunciaram a fusão das duas entidades no sentido de “se tornarem na maior referência na Península Ibérica para programas de inovação e empreendedorismo”.

Já estão delineados para os próximos meses alguns planos para esta operação de fusão que irá centrar-se em três eixos: programas corporativos, programas de pré-aceleração e investimento em startups de Madrid.

Existem outros projectos previstos, tanto em Madrid como noutras cidades, para onde se vai estender o programa de pré-aceleração da Tetuan Valley.

O reforço da parceria, vai permitir fortalecer a aposta no braço de investimento da Beta-i a Espanha, pois apesar de existir anteriormente um veículo que cobria a Europa, no âmbito da fusão, será feito um reforço do enfoque em Espanha.

Ao longo dos anos, as duas entidades já viram passar pelos seus programas de inovação e empreendedorismo cerca de 840 startups e têm vindo a colaborar e a participar em vários projectos conjuntos, muitos dos quais sob a égide da Comissão Europeia.

A Beta-i está mais focada nos programas de aceleração e em projectos de inovação corporativa, e a Tetuan Valley centra-se em programas de pré-aceleração, fase de ideias e formação.

“Ao juntar estas duas valências específicas, a ideia é gerar uma proposta complementar, que nos permita tirar partido dos respectivos ‘know-hows’, no mercado ibérico”, explica Pedro Rocha Vieira, co-fundador e CEO da Beta-i, em comunicado.

“A Beta-i e a Tetuan Valley pretendem desenvolver uma estratégia ibérica. Sendo cada um uma referência nos seus países de origem, juntos podem conseguir muito mais, e a Tetuan vai crescer muito com este input. Tanto a Beta-i como a Tetuan Valley englobam já enormes comunidades de empreendedores, e logo aqui há imensas sinergias”, assinala Karel Escobar, CEO da Tetuan Valley.

A Beta-i tem já alguma tradição e presença em Espanha. Exemplo disso foi o ‘Cork Challenge Barcelona’, um acelerador de âmbito internacional concebido em parceria com a incubadora da Corticeira Amorim. Este projecto, “visou estabelecer pontes entre o universo das startups e a Amorim e decorreu com sucesso de Outubro a Dezembro de 2016”.

Numa primeira fase, um operacional da Beta-i vai juntar-se à equipa da Tetuan Valley já em Fevereiro, em Madrid, para partilha de conceitos e métricas de trabalho.

Um dos primeiros projectos a tirar partido desta aliança será um programa de aceleração da EDP, o “EDP Starter Acceleration Program”, que dura oito semana e se destina apenas a startups espanholas. O programa está dividido em dois blocos, que incluem sessões de coaching, mentoring, culminando num Demo Day. O EDP Starter arranca já no início de Fevereiro, e estende-se até 25 de Maio.