Conesa

O Grupo Conesa, da Estremadura, acaba de adquirir duas novas fábricas à AlgoSur, localizadas em Sevilha. Uma capacidade de processamento de tomate que aumenta em mais oito mil toneladas por dia, e que torna a Conesa no maior grupo do sector em toda a Europa.

 

A Conesa, o principal grupo espanhol de processamento de tomate fundado em 1976, chegou agora à Andaluzia através da compra de duas fábricas ao Grupo AlgoSour, grupo empresarial especializado na pesquisa, produção, transformação e comercialização de várias culturas extensivas, como a fibra de algodão, o girassol de tubulação branca, a quinoa, o milho de pipoca e, claro, o tomate.

Os contactos com vista à aquisição terão começado este verão e a compra foi firmada no passado mês de Outubro, num negócio a rondar os 40 milhões de euros, segundo o periódico espanhol “HOY”. A AlgoSur, presidida por António Martín Antúnez, não tinha como prioridade a colheita de tomate e procurava a venda das fábricas; já a Conesa ambicionava chegar ao Baixo Guadalquivir, epicentro da expansão do tomate andaluzo.

“Queríamos fazer algo na Andaluzia e a ocasião foi apresentada. A compra das duas fábricas de processamento em Sevilha é uma jogada estratégica do grupo Conesa para continuar crescendo ", disse ao jornal o presidente da Conesa, Manuel Vázquez Calleja.  “Nesta campanha, dos 3,3 milhões de toneladas de tomates processados em Espanha, 2,1 milhões foram cultivados na Estremadura e 900 mil toneladas na Andaluzia, onde o rendimento é maior do que na Estremadura e, portanto, mais quilos são produzidos por hectare do que na nossa região”, acrescentou.

A evolução do cultivo de tomate na região andaluza é digna de registo no que aos três últimos anos diz respeito. Em 2015, foram colhidas 660 mil toneladas, em 2016 chegaram às 766 mil e no ano passado foram, então, 900 mil.

Quinta no mundo

Com esta aquisição, a Conesa, que já era líder em Espanha na transformação de tomate, torna-se o maior grupo do sector em toda a Europa bem como do Arco do Mediterrâneo (norte da África, Turquia, Ucrânia, Israel).

Todas as empresas do grupo alcançavam já uma capacidade de processamento de 25 mil toneladas por dia e de 1,4 milhão de toneladas por campanha, agora, com estas duas novas fábricas, a Conesa passará a ser um dos cinco maiores grupos mundiais no processamento de tomate fresco.

Com cinco fábricas na Estremadura (três em Las Vegas Bajas e duas em Las Vegas Altas), a Conesa soma agora mais estas duas na Andaluzia (em Pinzón e em El Trobal) com, respectivamente, capacidades de processamento diárias de 2.200 e de 5.800 toneladas de tomate. Ambas as unidades industriais têm instalações modernas e “totalmente credenciados para produzir macarrão e suco de tomate", destaca o grupo.

A Conesa, com mais de 400 funcionários a tempo inteiro, está presente em 41 países do mundo e exporta mais de 80 por cento do que produz em Espanha. Para além de uma fábrica de pasta de tomate na China e outra de tomate em pó na Califórnia, tem igualmente instalações em Portugal.