Avaliação de Empresas

Avalição de empresas e negócios

Serviços de avaliação de empresas

 Um avaliador experiente sabe reconhecer valor

A avaliação de empresas e de negócios consiste numa metodologia que visa o apuramento do valor de uma determinada entidade, seja ela comercial, industrial, de serviços ou investimentos.

Há diversos modelos e variadas técnicas, com maior ou menor complexidade, para o apuramento do valor da empresa, residindo no entanto a complexidade de apuramento sobretudo nos valores subjectivos que revestem a avaliação. O valor de uma empresa é, em última análise, o equilíbrio entre o que o vendedor aceita como preço (perante todas as alternativas de que dispõe) e o que o comprador está disposto a pagar, o que poderá incluir, além do valor de mercado esperado, o Goodwill envolvido na aquisição.

Avaliar significa apurar ou estimar o valor de determinada coisa. O que é, sem dúvida, um processo pouco linear, pois depende de várias condicionantes, alguns deles deveras subjectivos, tais como: as características do avaliador, a finalidade da avaliação (compra, venda, fusão, liquidação), o contexto económico, social e político em que a avaliação é realizada, bem como as variáveis e modelos de avaliação existentes.

Quanto vale uma empresa?

O valor não é o preço: o preço é o que se paga; o valor é, objectivamente, quanto vale.

Os princípios básicos de avaliação de empresas centram-se em três abordagens:
  • Abordagem pelos activos - Considera o valor dos activos, deduzidos das responsabilidades;
  • Abordagem pelos mercado – Considera o valor de empresas cotadas para comparação ou transacções recentes para empresas similares;
  • Abordagem pelo rendimento – Considera o valor dos lucros futuros, actualizados para o valor actual.

 

O valor de uma empresa está longe de ser uma ciência exacta pois os riscos que a envolvem não são estáticos.

Definir o valor de uma empresa/negócio é um processo complexo que exige bastante experiência e condicionado por diferentes variáveis:

  • Mercado;
  • Concorrência;
  • Situação familiar;
  • Sinergias;
  • Poder negocial;
  • Controlo;
  • Capacidade de gestão.
Ao investir, um comprador pretende que o seu investimento retorne entre 5 a 10 anos. Logo, a empresa tem de libertar um rendimento anual de cerca de 10 a 20% e com um risco baixo. Comparar com alternativa de aplicação bancária de baixo risco é cenário muito utilizado.
 
Para avaliar devidamente são necessários estudos técnicos com diferentes finalidades, sendo esses o suporte para o empresário medir o seu próprio desempenho e avaliar riscos, de forma a aumentar o valor da empresa e, consequentemente, o seu património.
 
A avaliação é um procedimento que começa com um levantamento de dados e com uma pequena auditoria, objectiva, à empresa. Depois, efectuam-se os estudos financeiros e as projecções necessárias. Deste trabalho resulta o "Laudo de Avaliação", um documento assinado por técnicos que, assim, atestam a sua idoneidade.
 
Este "Laudo" é altamente importante para elaborar um "Plano de Negócios" e é um instrumento determinante para a venda da empresa, pois permite negociar a empresa de modo mais simples e possibilita uma visão mais estratégica e imediata para que se tomem decisões.Por outro lado, é particularmente valioso para o empresário que pode, com ele, contemplar e avaliar o seu "projecto de vida" de uma forma realista.

 

mini logo